Guilherme Órfão & Beselch Rodriguez (Portugal/Espanha)

Abrimos a última noite do Raízes do Atlântico com um dos concertos que melhor simboliza o festival, a nova geração da música da Madeira encontra semelhanças e diferenças com uma região tão próxima, Canárias em Espanha.

Ambos são músicos que sempre exploraram as tradições das suas ilhas e respetivos instrumentos, ambos procuraram trazer outras sonoridades a estas mesmas tradições e estrearam o projeto nas Canárias em 2016 com o título Timple Meets Madeira.

Guilherme Órfão começou a tocar instrumentos tradicionais madeirenses aos 7 anos, inicialmente braguinha e depois rajão e viola de arame. Passou pelas melhores escolas de música tradicional da Madeira e foi com a prática dos cordofones que integrou a Orquestra de Ponteado e o Si que Brade. Mais tarde, com amigos, criou os Metáfora, banda onde é arranjista e compositor. Recentemente tem divulgado os cordofones madeirenses por palcos nacionais e internacionais com o seu projeto a solo.

Beselch nasceu em Tenerife e descobriu o Timple (instrumento tradicional das Canárias) desde muito cedo quando o seu avô o iniciou no mundo do folclore e da música tradicional. Desde então já trabalhou com várias formações, editou três discos e atuou em vários festivais. Beselch já teve o reconhecimento do próprio governo das Canárias como um dos máximos representantes da nova geração de timplistas.

Um concerto que junta duas regiões da Macronésia numa viagem pelo cancioneiro tradicional como também pelas novas sonoridades e originais dos dois músicos, um concerto imperdível.

Dia 17


Sábado

20h00

© Raízes do Atlântico – All rights reserved | Webdesign: António Néu