Elza Soares (Brasil)

Fazemos história no encerramento do Raízes do Atlântico com um dos maiores ícones da música brasileira, autora do recente muito celebrado e elogiado A Mulher do Fim Mundo vencedor do melhor álbum do ano de 2015 pela Rolling Stone, vencedor do Grammy Latino, nos 10 melhores álbuns do ano pela The New York Times, entre tantos outros prémios. Falamos de Elza Soares, uma mulher que sobreviveu a tudo e que é considerada um dos maiores tesouros da cultura brasileira e que afirma prontamente que irá cantar até morrer, tal como diz um dos versos do álbum.

No prestigiado The Guardian escreveu-se que para Elza o tempo parece não pesar. A viúva da lenda dos relvados Garrincha, mãe aos 13 anos que teve que suportar a indescritível dor de perder vários filhos, nascida no meio do samba numa favela do Rio, foi descoberta aos microfones da rádio pelo grande Ary Barroso e foi coroada rainha dos morros ainda os anos 50 não se tinham extinguido. Ao longo das décadas, esta mulher de armas viu-se aplaudida e criticada em igual medida. A BBC descreveu-a mesmo como a voz brasileira do século, em 1999.

A verdade é que ninguém estava preparado para um álbum de uma vida e que literalmente ganhou tudo o que podia ganhar. Um álbum apocalíptico de samba, sujo, experimental.

Diva da bossa negra, mulher furacão e cantora do milénio são apenas algumas das designações atribuídas a Elza Soares.

Encerramos o Raízes com um concerto certamente irrepetível e absolutamente imperdível. O The New York Times garantia ao render-se aos seus pés que Elza continua indomável. São assim as forças da natureza. Nada as segura e ninguém lhes consegue escapar.

Dia 17


Sábado

23h00

© Raízes do Atlântico – All rights reserved | Webdesign: António Néu