Banda d’além (Portugal)

A música popular de tradição oral constitui-se para além do seu valor estético inspirador de tantos compositores do ligeiro e do erudito, em documento histórico tão importante como qualquer outro, enquanto testemunho revelador do quotidiano de sociedades rurais extintas.

A música tradicional tem uma base funcional; quando uma função termina a música passa a um estado de vigília, até morrer o portador.

O grupo Banda d’além entronca nesta árvore frondosa, expressão de uma música que conserva a memória dos que nos antecederam e que merecem o nosso respeito, o respeito dos que hão-de vir.

Assim, o Banda d’além mais não pretende do que perpetuar/reinventar essa memória, ainda que não vivendo as experiências que congregavam o Povo em actividades tão distintas como o ceifar e malhar o trigo, o apanhar a erva, o transportar do mosto para as adegas, a matança do porco, as presentes no arraial de carácter religioso, o embalar do menino que teima em não adormecer.

O José Luís, o Zé Camacho, o Márcio Faria, o João Paulo, a Paula Cristina, e o Mário André integram este grupo, que foi refundiar na arca do passado, esta tradição poético-musical, legado deslumbrante do génio inventivo das gentes das ilhas da Madeira e do Porto Santo.

Um concerto obrigatório na abertura do Raízes do Atlântico 2017.

Dia 15


Quinta-feira

20h00

© Raízes do Atlântico – All rights reserved | Webdesign: António Néu